Na despedida de Luiz Henrique do Maracanã, Fluminense vence o Cruzeiro e sai na frente na briga por classificação na Copa do Brasil

  • por
Em uma noite que ficará marcada pela despedida da joia Luiz Henrique do Maracanã, o jovem, já vendido ao Bétis, da Espanha, não foi o protagonista e viu Cano ser o homem decisivo na vitória do Fluminense sobre o Cruzeiro, por 2 a 1, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. Com esse resultado, o Tricolor pode até empatar no próximo dia 12, no Mineirão, às 21h, que consegue a classificação às quartas da competição.
O Fluminense dominou a maior parte do jogo e criou as principais chances de gol na primeira etapa. O primeiro lance de perigo do tricolor foi logo aos dois minutos. Após cobrança de escanteio, Cano desviou e Bidu tirou pouco antes de a bola entrar.
Ao oito minutos, novamente em bola aérea, o Fluminense, novamente, ficou no quase. Após cobrança de escanteio, Manoel subiu de cabeça, e a defesa do Cruzeiro conseguiu completar para fora da área. No rebote, Nonato arriscou o chute e tirou tinta da trave. Aos 17, o Tricolor conseguiu abrir o placar, mas a arbitragem anulou. Em boa jogada de Arias, o argentino botou para dentro, mas o colombiano estava impedido, segundo o VAR.
Aos 38 minutos não teve gol, mas teve cartão vermelho para um jogador do Cruzeiro, o que mudaria os rumos do jogo. Geovane deu forte entrada em André e levou amarelo, mas após checagem no VAR, o árbitro anulou o amarelo e deu vermelho.
Aos 45, o Flu tirou proveito da vantagem numérica. Depois de cobrança de escanteio, a zaga do Cruzeiro tirou, e a bola ficou com Ganso no lado direito. Ele cruzou com perfeição na cabeça de Manoel, que abriu o placar no Maracanã. Mas, quando todos esperavam o fim do primeiro tempo, a Raposa conseguiu o empate. Filipe Machado cobrou escanteio na primeira trave, e Lucas Oliveira subiu sozinho para igualar o marcador.
Para o segundo tempo, Fernando Diniz fez uma alteração para aproveitar a vantagem numérica em campo. Tirou Nonato e colocou Matheus Martins. Com mais um jogador ofensivo em campo, o Fluminense encurralou o Cruzeiro e pressionava bastante.
Aos dez minutos, o Flu conseguiu o desempate. Arias recebeu pelo lado direito e cruzou na medida na cabeça de Cano, que cabeceou com estilo e estufou a rede. Mesmo na frente do placar, o Fluminense não tirou o pé do acelerador. Aos 28, o atacante argentino, de novo, ficou no quase. Ele recebeu dentro da grande área, conseguiu fazer o giro em cima do marcador e tentou a finalização, mas a bola foi para fora.
O Cruzeiro, com um a menos desde o primeiro tempo, começou a demonstrar desgaste físico e, claramente, adotou a estratégia de se defender para não perder por um placar ainda mais elástico e jogou no contra-ataque.
O Fluminense, por outro lado, apenas administrava o placar, mas, aos 44 minutos, o setor defensivo vacilou geral, e o Cruzeiro por muito pouco não empatou. Edu dominou na entrada da grande área, fez o giro e deixou Vitor Leque em ótima condição. O atacante finalizou com estilo, mas a bola foi para fora. Que chance desperdiçada pelo time mineiro. Esse foi o último lance de perigo do jogo, que acabou logo em seguida.
Confortável na Copa do Brasil, o Fluminense, agora, vira a chave e volta a focar no Brasileirão. No domingo, o time de Diniz tem mais uma pedreira: o Botafogo. O clássico está marcado para acontecer no Nilton Santos, às 16h, pela 14ª rodada.
Este duelo vai marcar o adeus de Luiz Henrique do Fluminense. A joia foi vendida por cerca de 13 milhões de euros ao Bétis, da Espanha. Outro que se despede, mas esse do futebol, é Fred. Um dos maiores ídolos do Flu vai pendurar as chuteiras aos 38 anos.

O jovem atacante não fez gol no triunfo tricolor por 2 a 1, mas teve boa participação na partida e deixou a certeza no coração dos torcedores que fará falta no elenco

Deixe um comentário