Arnaldo Cezar Coelho detona ‘incompetência’ da arbitragem com o uso do VAR: ‘Virou uma muleta’

  • por
Rio – O primeiro árbitro brasileiro a comandar uma final de Copa do Mundo, Arnaldo Cezar Coelho, denotou o atual momento da arbitragem no futebol. Em entrevista ao programa “Eu e o Benja”, do SBT, na última segunda-feira (20), o ex-árbitro soltou o verbo sobre o processo de formação dos árbitros e a má utilização do árbitro de vídeo (VAR).
“É incompetência geral: do VAR, do auxiliar, de quem escala, de quem orienta e de quem vai lá na televisão olhar se foi pênalti ou não. A Fifa disse que o VAR ia acabar com as injustiças, que o VAR era o paraquedas para salvar a vida do árbitro. Pelo contrário: o paraquedas não está abrindo e o árbitro está morrendo. O VAR virou uma muleta do árbitro. Qualquer coisa coloca a mão no ouvido, é o fim do mundo”, afirmou Arnaldo Cezar Coelho ao ‘Eu e o Benja’.
“O árbitro, por melhor que seja, transfere para o VAR a responsabilidade do lance. Ele bota a mão no ouvido e vai ver na televisão. Futebol não tem dúvida, é igual a mulher grávida: ou está ou não está grávida. Sem falar do bandeirinha. Você pode colocar o sorveteiro ou o vendedor de pipoca de bandeirinha que é a mesma coisa, porque eles não marcam nada. Todo gol tem que parar para ver se foi legal ou não. Então bota o sorveteiro que vai cobrar mais barato”, completou.
Por fim, Arnaldo comentou sobre a polêmica arbitragem do último domingo (19) no jogo entre Internacional e Botafogo, no Beira Rio, pelo Campeonato Brasileiro. Na ocasião, o ex-árbitro questionou o processo de formação dos árbitros.
“Antigamente, para chegar na Fifa, o cara apitava dez anos, 15 anos para pegar maturidade. Hoje, qualquer um recebe o escudo. Parece que se fabrica juiz como se faz um pão na padaria: bota a massa, põe dentro do forno, tirou e está fresquinho. Juiz não é assim, tem que ter uma carreira, precisa ter uma história para depois chegar na Fifa”, concluiu.

Ex-árbitro comenta sobre polêmica arbitragem do último domingo (19) na partida entre Internacional e Botafogo, pelo Campeonato Brasileiro

Deixe um comentário