Fluminense sai atrás, mas vira o placar e vence o Vila Nova na estreia pela Copa do Brasil

Rio – O Fluminense venceu o Vila Nova de virada por 3 a 2 na noite desta terça-feira, no Maracanã, pela estreia na Copa do Brasil. Na ocasião, o time do técnico Abel Braga entrou na partida com uma postura monótona, sem criatividade e com bastante dificuldade para impor a equipe ao ataque. Após levar os dois gols do time goiano, o Tricolor mudou a postura na etapa final, buscou o empate e virou o jogo dentro de casa.
Com Cano de volta, mas Ganso e Cris Silva poupados, o Fluminense iniciou a partida com um time preso na defesa, sem espaço para criar alguma jogada. Na ocasião, pelo menos no primeiro tempo, o Tricolor se baseou em bola longa para tentar alcançar o ataque formado por Germán Cano, Luiz Henrique e Willian Bigode, este que recebeu mais uma oportunidade do técnico Abel Braga.

Por outro lado, o técnico Higo Magalhães, do Vila Nova, acertou o esquema tático e foi feliz na construção do time goiano para bloquear todas as chances do Fluminense. O primeiro tempo não foi recheado com oportunidades claras para ambos os times, pelo contrário, foi uma etapa inicial marcada por um jogo truncado e muito faltoso, que acabou acarretando em uma dura dividida em Yago Felipe, substituído após 25 minutos de partida pelo volante Nonato.

No decorrer da partida, o Fluminense mostrou ter bastante dificuldade para passar pela defesa do Vila Nova. Em apenas uma única oportunidade, a bola chegou nos pés de Cano, que é o artilheiro da equipe tricolor nesta temporada. Por outro lado, encontrou Bigode e Luiz Henrique, mas os atacantes não tiveram uma boa atuação na etapa inicial, assim como o time inteiro comandado por Abel Braga, que passaram em branco e foram vaiados pela torcida no Maracanã.

Além disso, mesmo após a substituição de Yago por Nonato, o Tricolor não mudou a postura e a falta de objetividade contra o Vila Nova. Desta forma, o time goiano, nos pés do experiente Victor Andrade, ameaçou bastante pelo lado esquerdo e incomodou a defesa do Fluminense. Até que, aos 37 minutos do primeiro tempo, a equipe de Higo Magalhães decidiu na bola parada e abriu o placar com gol de cabeça do zagueiro Rafael Donato após cobrança de escanteio.

Sob vaias, o Fluminense perdeu o comando da partida e torceu pelo fim do primeiro tempo para se encaminhar ao vestiário e buscar soluções com o técnico Abel Braga. Enquanto isso, o treinador Higo Magalhães, satisfeito com a oportunidade aproveitada pelo time goiano, viu o Vila Nova cumprir o objetivo na etapa inicial.

No retorno ao segundo tempo, a postura do Fluminense mudou após as substituições de Jhon Arias e Luiz Henrique por Ganso e Caio Paulista, respectivamente. Logo no primeiro minuto, o camisa 10 fez um bom passe para Bigode, que girou rápido e deixou Cano na cara do gol, mas o atacante argentino finalizou rasteiro para fora.

A partir deste momento, o time do Fluminense começou a ter conexão entre os jogadores, com aproximação e troca de passes para girar o campo e encontrar oportunidades nas falhas da defesa do Vila Nova, que se manteve firme e fixou a maior parte da equipe goiana em bloco baixo. Pouco tempo depois, o Tricolor viu que não seria o suficiente e observou o seu ex-jogador, Pablo Dyego, ampliar o placar para os visitantes, após um erro crasso no contra-ataque. Na ocasião, o lateral-direito Alex Silva flutuou com facilidade dentro da área e cruzou rasteiro para o atacante dominar e finalizar para dentro do gol.

No entanto, a tão sonhada oportunidade para o Fluminense chegou aos 16 minutos, quando Willian Bigode recebeu o passe de Samuel Xavier, que girou rápido e foi derrubado por Renato. O juiz marcou o pênalti para o Tricolor e Ganso converteu a cobrança para diminuir o placar, aos 21 minutos, após uma longa discussão entre os jogadores do Vila Nova e Rodolpho Toski Marques.

No decorrer do segundo tempo, Abel Braga promoveu mais mudanças e substituiu Pineida e Bigode por Marlon e Fred. O lateral-esquerdo entrou na metade da etapa final e movimentou a equipe tricolor de primeira após fazer um longo cruzamento para a área e Germán Cano, exímio atacante e artilheiro, aproveitou o espaço para empatar a partida e colocar a bola dentro do gol.

O que parecia quase impossível foi revertido no final do segundo tempo. Aos 45 minutos, após boa jogada do zagueiro Nino pela direita, a bola chegou no volante Nonato, que tocou para Fred dentro da área, e o atacante se movimentou rápido para finalizar de chapada para o fundo da rede e fazer o terceiro gol do Fluminense.
No próximo sábado (23), o Fluminense irá voltar ao Maracanã para enfrentar o Internacional, às 19h30, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Com quatro pontos, o Tricolor ocupa a sexta colocação na tabela da Série A.

Com dificuldade para se impor ao ataque, o Tricolor foi monótono e pouco criativo para vencer o confronto no Maracanã

Deixe um comentário